Inquérito concluído sobre estupro e morte de menina de 16 anos

O suspeito de matar e estuprar a jovem Jeniffer Tavares foi indiciado por sete crimes. O inquérito do caso foi concluído pela Polícia Civil (PC) e encaminhado para o Ministério Público do Paraná (MPPR) nesta quinta-feira (6). A decisão agora é dos promotores, que podem oferecer ou não uma denúncia.

O laudo do caso, emitido pelo Instituto Médico Legal (IML), apontou a vítima apresentava uma lesão na cabeça. De acordo com a investigação, o ferimento pode ter sido causado por uma garrafa comprada momentos antes do crime.

Leia mais: Suspeito de matar Jeniffer Tavares é preso; jovem confessou que transportou corpo

A última imagem da garota foi registrada por câmeras de segurança de um posto de combustível, que fica próximo ao motel onde a menina foi levada. As câmeras do estabelecimento também gravaram o suspeito, Carlos Alberto Dias da Silva, comprando uma garrafa de vodka.

O corpo da jovem de 16 anos foi encontrado no dia 7 de maio, dias depois de ela ter desaparecido após uma festa. Carlos, o principal suspeito do crime, foi preso no dia 10 de maio. O homem alega que não cometeu o homicídio e que deixou o corpo da adolescente em um matagal, após ela ter morrido de overdose.

Relembre: Corpo de menina de 16 anos é encontrado sem roupas em matagal

O suspeito foi indiciado por sete crimes: tráfico de drogas, corrupção de menor, fornecimento de bebidas alcoólicas para adolescente, estupro, homicídio qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual.

Colaboração Gabriela Pontes e Rede Massa

Fonte: massanews.com