Professora colocava cabeça de crianças na patente