Curitibano trabalha 90 horas para comprar uma cesta básica