Polícia ouve moça que beijou jogador na festa antes dele morrer

Uma jovem que participou da festa na casa da família Brittes, e teria ficado com o jogador Daniel Corrêa Freitas momentos antes de sua morte, foi ouvida na Delegacia de São José dos Pinhais nesta segunda-feira (12) e retornou ao local nesta terça-feira (13) para reconhecer mais um envolvido no crime. Durante o depoimento, a testemunha relatou que todos continuaram na casa da família depois do crime, sendo que todos almoçaram juntos.

A jovem, de 19 anos, contou à polícia uma versão semelhante a outros envolvidos, porém, afirmou que além de Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Igor King e David Willian Villero Silva, um dos irmãos Purkote, que são gêmeos, teria auxiliado nas agressões e entregado a faca usada no crime para Edison Brittes. Por este motivo, a testemunha precisou retornar à delegacia, para reconhecer quais dos irmãos estaria envolvido na situação. “Ela veio fazer um reconhecimento fotográfico que faltou ontem, veio complementar o depoimento. Existia uma dúvida de quem teria participado em alguma situação ali [na festa], e ela conseguiu reconhecer”, explicou o advogado que representa a jovem, Rafael Lima.

Leia mais.