Novos depoimentos indicam que Deyvid foi morto por engano pela polícia

Os suspeitos envolvidos em um assalto, que resultou na morte de Deyvid Luigi Fronza, em 10 de novembro de 2018, afirmaram que a vítima foi assassinada por engano pelos policiais. O grupo, que teria roubado um estabelecimento comercial em Almirante Tamandaré, confirmou que Deyvid não estava envolvido com o crime.

Durante a audiência, um dos acusados confessou que estava sendo ameaçado pelos agentes. De acordo com o suspeito, ele foi coagido a mentir para a justiça depois que os policiais atiraram contra o rapaz e alteraram a cena do crime.

Os três suspeitos alegaram que não conheciam Deyvid e que viram o rosto da vítima depois que os policiais mostraram uma foto dele.

O caso

Deivyd Luigi Fronza foi morto a tiros enquanto pulava o muro de uma residência, no bairro Pilarzinho, em Curitiba. Vizinhos e testemunhas afirmam que o rapaz foi alvejado pelas costas pelos agentes da Polícia Militar (PM). 

A PM afirmou que os agentes do BOPE foram recebidos a tiros e, durante o confronto, o suspeito foi baleado. O Siate foi acionado, mas o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local. 

Fonte: www.massanews.com