Rapazes detidos dizem que são trabalhadores injustiçados